EDITORIAL

A Cultura do Cancelamento
Isso faz parte dos seus princípios?



Muitas pessoas embarcam em comportamentos que a sociedade adota sem fazer uma análise com seus princípios.
Se a pessoa é partidária de que não se tenha escolhas, ou que haja pensamento único sobre os valores e princípios, a cultura do cancelamento é um prato cheio, não importa se a pessoa é de direita ou de esquerda.

Estas pessoas são reducionistas, elas reduzem o pensamento de que existem pessoas que são petistas ou bolsonaristas. É o pensamento binário! Ou é ou não é! O que está em jogo aqui são os princípios e algumas pessoas podem se confundir em relação a isso.

Um dos princípios que se deve defender é a liberdade de pensamento e expressão das pessoas, isso é inegociável.
O outro pensamento é a liberdade econômica.

Aqui não penso em bolsonarismo, aliás esse é um reducionismo sem qualquer base, alicerce, pois é o reducionismo personificado, portanto ele é patético, entretanto a esquerda o usa com o único intuito de desqualificar algo maior que é o conservadorismo e o liberalismo. Sendo assim, cair nesta armadilha intelectual rasa, não leva a nada, apenas a conflitos sem que se discuta os princípios, os valores e os ideais.


Existe uma lista em Cosmópolis para que se cancele algumas empresas, porque, segundo quem a escreveu, os donos dessas empresas são petistas. Ora, este é o primeiro princípio que para mim ele viola meus princípios. Eu creio que qualquer pessoa tem o direito de ser de direita, centro ou esquerda. E propor o cancelamento de empresas, cujos donos ou sócios são de esquerda, viola meu princípio do livre arbítrio.

Eu não posso aderir de forma alguma, caso contrário seria mais que uma incoerência ou hipocrisia, seria uma esquizofrenia minha.
Depois eu sou a favor da livre iniciativa, assim creio que qualquer um pode e deve, se quiser, montar sua empresa, seu negócio, mesmo que seja micro ou individual. O que me interessa é que aquele negócio seja produtivo para a sociedade e que procure prestar um serviço, produzir um produto, ou comercializar algo útil e legal para a sociedade e gerar empregos.

Sendo assim, eu jamais deixaria de comparar de uma empresa, só porque alguém afirma que seu dono, ou sócios são de esquerda, isso seria muito esquizofrênico.

Mas o pior é que a cultura do cancelamento leva a um nível que pode levar isso para todos os lados, inclusive para os mornos.

Discordar de uma pessoa é saudável, pois faz entender pensamentos diferentes e nos dá a oportunidade de processá-los dentro dos nossos princípios ou valores. Se aquilo fere os princípios que me norteiam eu não preciso adotar aquele pensamento, mas impedir que alguém que pensa diferente de mim de existir, só porque ela pensa diferente é doentio.

Tenho amigos, conhecidos e parentes tanto de direita, esquerda e de centro e não preciso entrar em conflito com as ideias de ninguém, apenas respeitar.
Então, eu digo para todos: eu não vou cancelar uma empresa ou pessoa só porque ela pensa diferente de mim.

Eu posso deixar de conviver com alguém que me ofende, que perde o princípio da honestidade, que se torna corrupto, que agride minha família, porque um dos princípios que tenho é o respeito e outro é o de não roubar dos outros o que não é meu, mas não farei nada para destruí-la, cancelá-la! Se ela me causar danos sérios usarei os instrumentos legais para me defender.

Para finalizar, não contem comigo para disseminar uma lista destas, eu tenho princípios que não me permitem cancelar pessoas ou empresas só porque suas ideias são diferentes das minhas.



Fale conosco pelo WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



EDITORIAL  |   03/02/2023 11h51

Cosmópolis - SP
 




EDITORIAL  |   30/01/2023 11h23

Cosmópolis - SP
 

EDITORIAL  |   05/01/2023 11h23

Cosmópolis - SP