SECRETARIA DE SAÚDE - SAÚDE

Cidadão faz o papel que Secretaria de Saúde de Cosmópolis não fez
Secretário de Saúde não tomou nenhuma atitude para resolver o caso em nenhum momento



No sábado passado, 14/01, nas redes sociais foi feita uma denúncia grave de uma senhora de 72 anos, Dona Aparecida, que estava sofrendo muitas dores nos pés e nas pernas. O cidadão, Alexandre Satou, foi entrevistá-la para entender o caso e dar um apoio à família.

Entrevistamos uma das filhas, a Cintia, e ela nos informou mais o sobre o caso.

Desde quando foi identificado a diabetes na sua mãe?
A diabete foi diagnosticada em setembro do ano passado, até então nós não sabíamos disso, ela por ter essa idade sempre fez o controle da saúde e nada disso tinha aparecido.

Em qual posto de saúde ela é atendida na cidade?
Ela é atendida no posto de Saúde do Andorinhas na Cidade Alta.

Ela passou por um especialista?
Sim, ela passou por uma médica especialista vascular na UBS Paineiras, no mês de agosto e depois em outubro/22.

O que foi receitado para sua mãe?
Foi receitado para diabete Glifage e tomar Dipirona 500mg e Tramal para dores mais agudas.

Os remédios foram conseguidos na Farmácia Municipal?
Às vezes conseguimos os remédios na Farmácia Municipal, na maior parte das vezes nós que mais compramos do que pegamos lá.

Quando e como se agravou o quadro clínico dela?
Ela começou a sentir dores fortes no pé em julho do ano passado. Levávamos ao médico no posto de saúde e ele receitava remédio para tirar a dor lá, e outras vezes ela tomava em casa. Em agosto começou a ficar bem vermelho a região dos dedos e foi estourando as feridas e saindo um líquido para fora e daí para frente só foi piorando.

Quando o quadro se agravou, qual procedimento os médicos adotaram?
Os procedimentos que passaram foram para ela tonar os remédios em casa e aguardar uma vaga para cirurgia.
Enquanto não saia a cirurgia, a dor era tanta que receitaram morfina, mas fez muito mal para ela.

Como a Dona Aparecida suporta a dor?
A dor é tão forte que a minha mãe tem dias que ela pede para amputar a perna, para parar de sentir essas dores.

Não foi pedido cirurgia para ela aqui na Secretaria de Saúde?
Aqui em Cosmópolis foi negada as vagas para a cirurgia, então, um dia minha mãe sofria tanto com a dor que nós a levamos direto para a UNICAMP. Foi no final de setembro, ela ficou internada por 03 dias, mas não foi operada, agora eu sei que naquela ocasião já devia ter sido pedido o exame de arteriografia na UNICAMP, e ela deveria ter sido operada, mas nada foi feito e ela recebeu alta.

Vocês procuraram a Secretaria de Saúde de Cosmópolis novamente?
Sim e nos foi informado que como ela entrou no sistema da vaga do Hospital da Unicamp eles não poderiam fazer mais nada.

Ontem, 21/01, o Alexandre Satou, as levou no Pronto Socorro da UNICAMP, certo?
Sim.

E o que aconteceu lá?
Bem, uma médica de plantão fotografou os pés da minha mãe e mandou para um cirurgião vascular e ele pela foto mandou que minha mãe fosse internada imediatamente. Desde as primeiras consultas nós sabíamos que ela teria que amputar o pé esquerdo, mas se tivessem atenção ao caso talvez pudessem ter corrigido o problema de circulação nas pernas dela.

Em algum momento o Secretário de Saúde entrou em contato com vocês?
Não, recebemos uma mensagem de uma funcionária da Secretaria de Saúde dizendo que como ela estava na lista da UNICAMP, eles não poderiam fazer mais nada.

Vocês pretendem tomar alguma providência legal a este respeito?
Vamos consultar um advogado, porque estamos indignados com o descaso com a minha mãe, se ela tivesse tido um atendimento melhor, talvez hoje ela não precisasse amputar o pé, mas estamos procurando nos orientar a esse respeito antes de tomar uma decisão.

Hoje, 22/01, a Dona Aparecida está sendo operada e, infelizmente, por possível negligência e omissão de socorro, ela perderá parte da perna e o pé. Oremos por ela!

Agora fica a pergunta:
Como um cidadão comum, Alexandre Ioshio Satou, consegue que ela seja atendida na UNICAMP, apenas a levando lá e o Secretário de Saúde não consegue?

A palavra mágica é:
VONTADE EM RESOLVER O PROBLEMA.

Simples assim!

Parece que o CROSS (que significa cruz em inglês) do SUS, em Cosmópolis é o calvário para os cidadãos, mas o Prefeito em entrevista na TV Record Campinas, no programa Thathi Cidade faz parecer que a saúde aqui é o PARAÍSO.

Só não se sabe para quem!

A Secretaria de Saúde de Cosmópolis fez este contato com a filha da Dona Aparecida pelas redes sociais e deu a seguinte resposta:

Assista ao vídeo e sinta o sofrimento da Dona Aparecida, depois curta, comente e compartilhe!



Confira o vídeo:




Galeria de Fotos:



Fale conosco pelo WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



SAÚDE   |   05/10/2022 19h12

Cosmópolis - SP
 




SAÚDE   |   22/07/2022 16h20

Cosmópolis - SP
 

SAÚDE   |   20/11/2021 17h00

Cosmópolis - SP